Rolinho Vietnamita

É Carnaval. Literalmente, Carnaval. O meu feriado preferido de todos os feriados que podem existir. Porque eu posso ser estranha, sair fantasiada e posso ficar bebada e ninguém poderá me julgar. Não importa onde eu esteja.

Esse ano, infelizmente, não estarei no Rio. Depois de 21 carnavais naquela cidade linda, o vigésimo segundo será em São Paulo. Mas não tem problema não que mesmo o Carnaval aqui sendo meio fajuto, mesmo não tendo muito bloco e ninguém levando fantasias a sério, ainda é Carnaval. E já que não vou pro Rio decidi fazer a coisa que mais amo na vida: beber e comer muito, e muito bem, neste feriado longe da cidade com o melhor Carnaval do planeta.

Por isso escolhemos essa receita. Porque se você for ou não for pular e ir a blocos não importa, ela continua sendo uma boa opção. Ainda mais com o calor do inferno que tá fazendo aqui, no Rio, em Salvador e em qualquer outro lugar.

É uma simples releitura de um rolinho tradicional do café da manhã no Vietnã. Eu fiz uma versão mais almoço ou lanche, acompanhada de molho Satay e feita com deliciosos montinhos de couscous marroquino e broto de feijão. Porque assim como o Carnaval, nem sempre os ingredientes precisam parecer combinar para cantarem uma linda música juntos. Não acredita? Então faz em casa e você vai vir aqui pedir desculpas.

Continuar a ler

Pad Thai

Há algum tempo venho me prometendo (e prometendo ao Felipe) que chegaria o dia em que eu tentaria fazer Pad Thai. Nunca pesquisei muito sobre ele, mas de tanto ouvir falar estava com uma vontade de comer inexplicável. A verdade é que mesmo depois de ler as receitas eu pensava que seria algo parecido com a vibe do Yakissoba. Mas eu me enganei. É totalmente diferente e incrivelmente delicioso.

O processo de criação de todas as receitas que faço costuma ser rápido, é como se eu tivesse a ideia, procurasse receitas base em livros ou na internet e criasse em cima disso, de acordo com a minha ideia original, mas dessa vez foi um pouco diferente. Sempre que vou fazer pratos clássicos de algum lugar é assim.

Minha ideia era fazer o tradicional mesmo, mas quando vi que seria impossível achar os ingredientes fora de São Paulo (abençoada seja a Liberdade e toda a sua variedade de produtos do outro lado do mundo), percebi que teria que adaptar. Então, vejam bem, assim surgiu a minha versão do Pad Thai tradicional que, apesar de ter uma semelhança, no final das contas ficou bem diferente.

Continuar a ler