Red Velvet

Faltam só 2 dias para a Ceia de Natal e eu me sinto na obrigação moral de escrever um post sentimental. Desculpa, mas é assim que eu sou. Eu sempre tive muito, muito ciúme dessa receita.
Acho que principalmente porque eu simplesmente sei que é uma das minhas melhores receitas.

Mas aí esse ano foi tão irado, tão especial pra mim de todas as formas e tanto por causa de vocês que nos acompanham e assistem que eu cheguei a conclusão que essa era a MINHA receita. Um bolinho vermelho, tão pequeno e aveludado, recheado e coberto de um creme de cream cheese que parece impossível de melhorar. Essa é, sem dúvida, a melhor forma de agradecer a vocês: dando, passo a passo, essa receita.

Desde que eu me entendo por gente, pra falar a verdade, odeio Natal. Quando era criança curtia os presentes, mas os natais pareciam sempre mais pra comer do que qualquer outra coisa (gulosa, eu?). Não sei explicar por quê não gostar dessa data tão linda e cheia de luzes e coisas fofas.

Continuar a ler

Anúncios

Rabanadas da Vovó Lolô

Pra mim, só é Natal quando eu entro na cozinha da minha vó e vejo ela preparando as rabanadas. Só é hora de colocar a roupa bonitinha e separar os presentes pra entregar quando eu sinto o cheiro do pão fritando e do açúcar com canela derretendo por cima dele.

Sim, minha vó faz as melhores rabanadas do mundo. Não, não é nada diferente das suas, exceto por alguns pequenos e lindos detalhes que deixam a rabanada dela ser a melhor do mundo.

E como eu amo rabanadas. De café da manhã no dia 25 talvez elas fiquem ainda mais deliciosas do que na noite de Natal. Aliás, por que a gente não faz rabanada sempre mesmo?

Continuar a ler

Peru de Natal

Chegamos ao ponto sem retorno. Quando já não tem mais como desistir de zerar a Ceia, aquela hora que você olha seu Peru pronto e pensa: este é o melhor que eu poderia ter feito.

Além disso, é claro, o que seria sua noite de Natal sem um delicioso Peru de Natal? E aí talvez você esteja pensando que todos que você já comeu eram secos e pareciam ter sido esquecidos no forno por muitos e muitos anos, desde o Natal anterior, e vai me dizer que não gosta tanto assim de Peru.

Essa receita surgiu porque na minha família também tínhamos esse problema. Quando ele não ficava seco, ficava meio sem graça e sem gosto. Então eu pensei: por que não cozinhar um peru com uma calda de cerveja defumada? Ela daria a ele sabor de carnes deliciosas. Mas e se eu colocasse também um pouco de mostarda Dijon? O sabor dela é tão característico que aumentaria, junto com a laranja, a acidez e ainda daria o toque que só ela poderia dar. E por último, mas não menos importante, por que não colocar mel? Só ele poderia caramelizar essa delícia e dar a doçura que compensa a acidez e que combina com a carne da ave.

E foi o que eu fiz. Aqui está a melhor receita de todos os tempos. Pelo menos pra mim.

Continuar a ler

Farofa de Nozes

Toda Ceia de Natal precisa ter algumas coisas pra ser completa. Pra mim, uma das mais importantes é a farofa. Talvez porque eu seja doida – totalmente maluca mesmo – por esta delicia divinamente inventada pelos brasileiros. Sério, quem teve a ideia de jogar farinha de mandioca na frigideira e ver no que dava: meus parabéns pra você!

Mas ai vem aquele drama porque a maioria das farofas que você vai comer nas festas de fim de ano vão estar secas, sem tempero, sem sabor, sem nada dentro. Garanto inclusive que talvez você possa comer aquelas que compra pronto no mercado, dependendo de pra onde você vá com essa discussão.

E eu te digo: estou aqui para resolver todos esses problemas. Tudo o que eu tenho pra dizer é que a chave para qualquer farofa é a manteiga. Manteiga é felicidade e, convenhamos, é Natal então o que é mais um pouquinho de gordura na Ceia ne? Bobagem. De verdade, bobagem.

Continuar a ler

Panettone de Cranberry e Chocolate

Foram, literalmente, 7 dias pra gravar essa receita. A gravação começou no sábado passado e só terminou neste domingo. Isso mesmo, ontem. E por que? Tudo porque eu tinha achado a receita de Panettone perfeita e nós precisávamos gravá-la de dia. Foram também 4 receitas de Panettone feitas, o que quer dizer que nesse momento na minha casa tem um festival louco de panettone de cranberry com chocolate, ou seja, estamos muito felizes!

Eu nunca achei que eu fosse, um dia, fazer um panettone. E por isso me desculpa a quantidade de vezes que vou escrever essa palavra hoje. Sempre escutei dizer que era muito difícil, complicadíssimo, demorado, uma chatice e, principalmente, que não valia a pena. Então panettones sempre me assustaram.

Continuar a ler

Arroz de Castanhas e Damasco

Eu avisei a vocês que o Natal tinha chegado. Afinal, já estamos no final da primeira semana de dezembro. E você, o que fez no seu ano?

Eu me mudei pra São Paulo e inventei tantas receitas pra vocês verem e se deliciarem que foram mais receitas do que nos outros 21 anos da minha vida eu havia inventado! E isso foi o que mais alegrou meu ano. Briguei com muita gente também e fiz as pazes. Mudei MUITA coisa na minha vida e não faria nada diferente. 2014 foi um ano foda em todo e qualquer sentido que essa palavra pode ter. E não, desculpa, não existe outra palavra pra 2014.

Outro dia estava até conversando com o Felipe e conclui que esse ano foram 10 anos da minha vida. É engraçado pensar como tanta coisa legal aconteceu em um só ano. E que eu conheci tanta gente irada e que eu provei que minhas amizades resistem a, sei la, 6 horas de carro facilmente. Perdi alguns amigos, recuperei outros, fiz muita comida (muita mesmo) e estou muito orgulhosa do ano que eu tive, sério.

Pensa bem, qual o melhor jeito de comemorar que o ano tá acabando? Seja porque você gostou dele ou porque quer ver 2014 longe daqui logo essa bosta de ano… Claro que é se empanturrando.

Por isso a primeira receita que melhoramos pra você é o arroz pra sua Ceia de Natal. SPOILER: não tem passas, o que já é uma GRANDE vantagem.

Continuar a ler

Muffins Natalinos

Coloca a música de Natal pra tocar. Vai, anda logo, monta a árvore e enche de luzinha e bolas vermelhas que reflitam bastante a sua sala iluminada à meia luz durante a ceia. Aproveita e tira umas fotos hipsters da árvore. Ah, e também compra uma estrela bem bonita pra colocar lá no topo. É sério, vai fazer isso, já é dezembro e a gente já vai até começar a ensinar receitas maravilhosas pra você.

Para para para! Na verdade eu não tenho árvore de Natal, não tenho luzinha e nem bolas vermelhas (até porque minhas gatas destruiriam as três coisas). Essa data pra mim só me remete a uma coisa: muita muita MUITA comida. Comer até passar mal, cozinhar pra 347 pessoas mesmo que sua família só tenha 4, comer no dia seguinte também. E esperar o Ano Novo pra comer mais. Se esse é o espírito que tanto falam? Não sei, mas é uma das poucas coisas em que eu acredito e essa data prova isso: a comida é o que reuni e sempre reuniu as pessoas.

A ideia que tivemos pra esse ano – que, aliás é o primeiro ano com o blog já bem organizado e com um especial 100% planejado e lindo – foi melhorar as receitas que sempre comemos na ceia aqui no Brasil e que a gente sabe, de alguma forma, que podiam ser melhores. E às vezes até mais fáceis. Bem, se não mais fáceis, mais divertidas.

A única receita que difere dessa ideia é a de hoje. A de abertura. Porque ela é um presente pra alguém. Então vem assistir e entender e aprender a fazer os muffins da manhã de Natal americana.

Continuar a ler