Próxima parada: La Trattoria

Apesar do nome, este lugar não fica na Itália e nem tão longe quanto pode parecer. Pelo contrário, ele está bem ali, no coração de Copacabana, esperando para ser visitado por vocês.
Eu vou nesse restaurante desde criança e nunca entendi porque meu amor por ele era tão grande, mas agora vou contar pra vocês. A comida é uma das melhores da vida, provavelmente o melhor italiano da cidade, e os preços são só amor. O caso é que, não sei porquê, tão pouca gente conhece, ou melhor, ele não está entre os queridinhos do mundo gastronômico.
O lugar é lindo (mesmo) e é super legal para levar a família, ou ir com amigos ou um jantar romântico, o importante é ir até lá e comer o Ravioli de Queijo aos Três Molhos. Pois é, você não vai encontrar essa opção no cardápio mas deveriam todos acreditar em mim e pedir porque é uma das melhores comidas da vida. Vai parecer estranho misturar carbonara, al arrabiata e pesto no mesmo prato, mas de alguma forma louca deu muito certo.
Antes de comer isso, peça os pães de alho porque é uma parte da experiência que não pode ser esquecida, já que eles devem ser feitos de amor para serem tão gostosos.
La-Trattoria-2O lugar fica na Rua Fernando Mendes, 7, Loja A, em Copacabana, perto do Arab e do Café del Mar. Vale muito a pena a visita e eu te prometo que você não vai gastar muito!

Por último, o site deles: http://www.latrattoriario.com.br/
Espero que a visita apaixone vocês tanto quanto a mim!

Uma ida ao Mercado Municipal de Curitiba

Pode ser que vocês não saibam, mas eu sou completamente apaixonada por mercados municipais. Assim, no geral, pode até não ter dimensão de um enorme mercado municipal ou nem levar esse nome, se vende coisas frescas, diferentes e deliciosas, eu certamente me apaixonarei.
Infelizmente eu vivo em um lugar em que o mais perto que eu chegarei de ir a um desses por perto é a Casas Pedro, pois é, muito triste eu sei. E isso nos leva ao lugar que apresentarei a vocês hoje, o Mercado Municipal de Curitiba.
mercado_1webPara quem não conhece, o mais legal de conhecer mercados municipais é que normalmente tem muita coisa que você não encontraria em mercados ou que encontraria mas que são muito mais baratas. Além disso, as frutas e verduras costumam ser muito mais frescas e eu gosto de acreditar que as pessoas que moram em Curitiba vão ao Mercado Municipal de lá comprar essas coisas que nem eu vou no Hortifruit.
Eu, como uma boa gourmet, sempre procuro encontrar massas diferentes, arroz incomum e até mesmo feijões dos mais variados tipos, mas é um ótimo lugar para turistar. O que eu achei mais legal no de Curitiba é que tinham muitos vinhos baratos e queijos deliciosos por preços bem menores do que em mercados convencionais.mercado_2web

Minha recomendação a quem vai a cidade é que visite e compre muitas coisas e temperinhos porque, por ser no Sul, pra mim que moro no calor, dá pra encontrar muitas coisas pra comida que chegam raramente aos mercados do Rio. Além disso tem todo um clima de aconchego (podia só ser um pouco mais quentinho) e uma animação típica desses lugares!
mercado_3web
mercado_4web
Ficou curioso? Vem ver mais do Mercado!

Novidades do Ginger e um Rondelli antigo

Começarei hoje pedindo desculpas a todo mundo porque estou enrolada com algumas novidades que estão vindo por ai. Novos produtos (cupcake cupcake cupcake <3), um canal no Youtube, e parcerias lindas.
Acho que não cheguei a comentar aqui, mas além dos meus posts semanais no Mistureba Chic, agora estou escrevendo para o Afronte, inclusive com algumas receitas feitas sob encomenda vindo por aí.

Mas é claro que, como toda boa Chef eu não podia deixar vocês esperando por uma receita para o fim de semana ser deliciosamente engordativo (sim, gosto de comidas que façam carinho na alma e encham a barriga).
Como muita gente ainda não acompanhava o blog na época, achei uma ótima ideia indicar a receita do Rondelli que fiz em abril e que deixou meu namorado muito feliz! Então que tal olhar para esta maravilha da culinária italiana e ir direto pro post ver como fazer!
E não precisa se assustar porque é mais fácil do que parece!
rondelli-12low

Arte no Café

Todo mundo sabe o quanto é legal ir a cafés e receber seu pedido com um desenho de folhinha, coração e, nos mais ousados, até mesmo ursinhos e morcegos. Mas, como já é de costume, os orientais começaram, há algum tempo, uma onda de fazer arte em 3D nos cafés.
Infelizmente na maioria dos lugares eles não são servidos dessa forma, mas é muito legal de ver! O caso é que eu acho que não teria coragem de tomar, de tão bonitinho que é! Vem ver o que encontramos

1 309242719312543744_35s_d 64397_572537672792041_1686649170_n
large
Curtiram? Contem pra gente o que mais vocês sabem sobre essa arte! (:

Quando a comida é maior que você

Foi Christopher Boffoli, um fotógrafo, escritor, artista e profissional de vídeo que fez com que os alimentos ficassem maior que as pessoas em seu projeto chamado Big Appetites.
cones
O artista diz que sua inspiração veio de episódios da sua infância, quando era, por mais incrível que possa parecer, transformar pessoas em miniaturas de um mundo gigantesco que, na verdade, não passava do real. O projeto, que começou a ser fotografado em 2003, é uma combinação de alimentos e bonecos de humanos.
Seu objetivo era criar fotografias que fossem entendidas independente de religião, cultura, raça ou costumes. E o que melhor que isso do que a comida? Além disso, remeter a experiências culinárias boas é o segredo de seu sucesso. Legal, não?
big-appetites-christopher-boffoli-15-600x399
squeeze-cheese-crew-640px
big-appetites-by-christopher-boffoli-2

Curtiu o trabalho do cara? Vem conhecer mais!

O homem das “Foodscapes”

O inglês Carl Warner já sabia, desde criança, que trabalharia a arte de alguma forma em sua vida, afinal, ele passava horas desenhando mundo imaginários inspirados por artistas como Salvador Dali, Patrick Woodroofe e Roger Dean. Antes disso, no entanto, Carl trabalhou como fotógrafo assistente de David Lowe, um conhecido fotógrafo londrino que fazia trabalhos publicitários para revistas.

Cansado de tudo, ele buscava por novas inspirações, pois queria seguir seu sonho. Em uma tarde, Carl avistou alguns cogumelos e os imaginou como se fossem árvores de uma paisagem seca e árida. Assim surgiu seu primeiro trabalho “The Mushroom Savana”.

Mushroom-Savanna3

Apesar de parecerem ilustrações, o trabalho é fotográfico, feito em seu estúdio em Londres, onde as cenas são fotografadas em camadas, desde o background até a camada mais a frente. Somente na pós-produção esses elementos são colocados sob uma mesma base e, então, a paisagem é construída. Legal, não?

Carl-on-Lettuce-Seascape-Set-SmallWeb

“Apesar de participar muito do meu trabalho, eu uso fabricantes de modelos e estilistas de alimentos para me ajudar a criar os cenários. Quase sempre começo com um rascunho em papel feito por mim para que a composição esteja toda visualizada e nada se perca, nem para mim, nem para o time”, diz Carl sobre seu trabalho.

O fato é que o que ele faz é fantástico e vale a pena conferir!

UB-Great-Wall1 Paris-Boulevard1 Chrysler-Building
Curtiu que nem a gente? Então vem ver mais do trabalho do cara aqui!